Responsabilidade Social

CECAFÉ – Projeto Criança do Café na Escola

Café e computadores em Varre-Sai - UNICAFÉ promove a instalação de uma sala de computadores em comunidade de cafeicultores por Silaine Terra, do Centro do Comércio de Café do Rio de Janeiro - CCCRJ.

Projeto Crianças do Café - CECAFÉ

Varre-Sai tem a primeira escola rural do estado (do Rio de Janeiro) a ser incluída no Projeto Criança do Café na Escola, desenvolvido pelo comércio exportador de café, através do CECAFÉ - Conselho de Exportadores de Café do Brasil, dentro do Programa de Responsabilidade Social das empresas exportadoras.

A Escola Municipal Elídio Valentim de Moraes, na localidade de Santa Rita do Prata, foi contemplada com um laboratório contendo dez computadores interligados em rede, que logo serão conectados à Internet. A inauguração do laboratório, em 9 de setembro de 2004, contou com as presenças do diretor da UNICAFÉ, Batista Mancini, do presidente do Centro de Comércio do Café do Rio de Janeiro e diretor geral do Cecafé, Guilherme Braga Abreu Pires Filho, da assistente jurídica do Cecafé, Karen Ariano e da Secretária Municipal de Educação e Cultura, Maria Auxiliadora de Oliveira.

Conheça a CCCRJ

DETALHES DO PROJETO

A finalidade é proporcionar a Inclusão Digital dos alunos da escola e da comunidade local, que não possui computadores, como forma de possibilitar também a inclusão social. Em Varre-Sai, o projeto contou com o apoio da UNICAFÉ Companhia de Comércio Exterior, uma das empresas líderes na exportação, e parceria com a Prefeitura do município, que disponibilizou a sala de aula.

Varre-Sai, que no censo realizado há três anos era o segundo município em exclusão digital no Estado do Rio de Janeiro, terá um grande avanço, constituindo-se no quinto município do país a receber um laboratório do projeto, que já contemplou um município de São Paulo, dois de Minas Gerais e um da Bahia. A escolha de Varre-Sai para receber o laboratório levou em consideração o fato do município ser o maior produtor de café do estado do Rio, produzindo 29% do café do estado, com 421 propriedades cafeeiras, gerando o sustento de 800 famílias; também decisiva foi a atuação do Engenheiro Agrônomo José Ferreira na defesa do município.

Maria Auxiliadora, Karen Ariano e Rosana Vieira, Diretora da Escola A Escola Municipal Elídio Valentim de Moraes fica na zona rural do município de Varre-Sai e possui 232 alunos da educação infantil à 8ª série do ensino fundamental, pertencentes a famílias de colonos ou pequenos proprietários de terra. O laboratório de informática, conforme informou a Diretora Rosana Rangel Pereira, será utilizado para as aulas dos alunos da escola e funcionará também no período noturno, atendendo a comunidade de Santa Rita do Prata. “Visamos assim otimizar o uso dos equipamentos em benefício de toda a comunidade”, disse a Diretora.

O diretor geral do Cecafé, Guilherme Braga Abreu Pires Filho, explicou que o projeto foi criado para dar suporte às comunidades de pequenos cafeicultores e trabalhadores rurais, levando tecnologia e conhecimentos do mundo da informática às escolas rurais. Lembrou que o “Programa está respaldado, de um lado, na percepção das empresas exportadoras de café de que a superação dos grandes desafios de corrigir desequilíbrios existentes na sociedade brasileira exige uma participação efetiva do empresariado. De outro, na crescente preocupação das indústrias e consumidores dos países importadores quanto às condições em que o café é produzido. O conceito de Sustentabilidade vem se desenvolvendo, e os seus quatro pontos básicos – relações sociais no emprego, preços e salários justos, cuidados com o meio ambiente e qualidade do produto, serão cada vez mais exigidos".

"O respeito a esses princípios assegurará ao café brasileiro um diferencial em relação aos outros países produtores. Relações econômicas, sociais e atenção ao meio ambiente e à qualidade, demonstrarão a preocupação em transmitir para as futuras gerações uma atividade sustentável, socialmente digna e responsável", complementou Batista Mancini, diretor da UNICAFÉ.

Batista Mancini - Unicafé, Francelino Bastos França - homenageado - e José Ferreira Criança do Café na Escola (Inclusão Digital), atividades como os Dias de Campo, onde são reunidos os cafeicultores para treinamentos em questões voltadas para a melhoria da colheita, do preparo e da qualidade do café como forma de aumento da renda, e um programa com jovens na faixa de 16 anos para o desenvolvimento da noção de empreendedorismo, são as ações básicas que o comércio exportador realiza através da coordenação do CECAFÉ, destacou Guilherme Braga Pires Filho.

Já o diretor da UNICAFÉ, Batista Mancini, lembrou que, desde a criação em 1968, a companhia sempre prestou serviços sociais para empregados e fornecedores, citando como exemplo a fazenda Galiléia, da UNICAFÉ, em Mutum Preto (ES), onde são fornecidos aos empregados e seus familiares serviços médicos e odontológicos.

Entende que o programa de Inclusão Digital e os demais são importantes, e com certeza surtirão efeitos positivos, sendo de grande utilidade.

“Quando se faz donativos não se sabe onde o dinheiro será utilizado. Aqui, com o entusiasmo que os alunos e professores demonstram, não tenho dúvidas sobre os resultados”, disse Batista Mancini.

Detalhes Projeto Crianças do Café

HOMENAGEM AO CAFEICULTOR

O laboratório recebeu o nome de Sr. Francelino Bastos França, pioneiro na cafeicultura fluminense.

Ex-deputado estadual e produtor de café do município, foi membro da Junta Consultiva do extinto Instituto Brasileiro de Café (IBC). “Estou muito honrado com a homenagem. Minha família aqui chegou, em 1872, e sempre plantou café. Fundei esta escola em 1968, e hoje sou homenageado sendo nome de uma sala, o que me deixa muito feliz. Uma homenagem de meu amigo Jair Coser que muito me desvanece e alegra. Sou um homem do campo, um caipira”, disse Francelino.

A diretora da escola da Prata, Rosana Vieira Rangel Pereira, agradeceu ao Cecafé, à UNICAFÉ e à prefeitura de Varre-Sai pela doação e apoio, e disse que o laboratório - com dez computadores - é um privilégio e uma conquista muito grande para a escola. “Estamos dando oportunidade à zona rural de ter acesso à informática, que hoje em dia está na vida de todo mundo”. Dos 232 alunos da escola, são poucos os que tiveram algum contato com a informática.

É o caso de Bárbara de Souza Dias, 14 anos, aluna da 8ª série da escola. Ela é moradora da localidade da Prata e nunca tinha utilizado um computador. "Acredito que o ensino da informática vai me ajudar muito a arranjar um emprego futuramente".

"Tinha interesse em aprender e tinha pensado em me matricular em um curso em Varre-Sai, mas ficaria difícil ir até lá”, explicou a aluna. Já o aluno Vander Valentim Rodolphi, 17 anos, aluno da 8ª série, já tem o curso básico de informática. “Será muito importante para fazermos pesquisas e nossos trabalhos escolares. A iniciativa é muito boa”, disse ele. E o pequeno Gilson, de 13 anos, aluno da 4ª série, também nunca teve acesso a um computador e está otimista: “Com os computadores teremos mais um aprendizado, que vai nos ajudar muito, nos dando mais oportunidades”.

A secretária municipal de Educação de Varre-Sai, Maria Auxiliadora de Oliveira, disse que é importante a prefeitura de Varre-Sai contar com parcerias como esta capitaneada pela Cecafé e pela UNICAFÉ, para o desenvolvimento de projetos sociais como o da Inclusão Digital. “Agradeço a todos que trabalharam para a implantação deste laboratório. Desde que soubemos que Varre-Sai é um município onde a Inclusão Digital é pequena, estamos trabalhando e as parceiras são muito importantes para mudar esta realidade”, disse a secretária.

Homenagem ao Cafeicultor

CAFÉ COM RESPONSABILIDADE TAMBÉM NO ESPÍRITO SANTO

Café com responsabilidade também no Espírito Santo

Dentro do programa de inclusão digital "Criança do Café na Escola" do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (CECAFÉ), foi inaugurado, no dia 27 de novembro de 2004, no município de Baixo Guandu (ES), mais uma sala de informática em escola rural, com o apoio financeiro da UNICAFÉ.

A E.E.E.F. Francisco da Cunha Ramaldes foi a sexta escola beneficiada pelo programa desenvolvido pelo comércio exportador de café, que já atende 1.400 crianças no conjunto, além da própria comunidade, que também faz uso dos computadores.

LABORATÓRIOS DIGITAIS EM PARCERIA COM A UNICAFÉ

ESTADO
  • RJ
  • ES
  • ES
  • MG
  • ES
  • ES
  • ES
  • ES
  • ES
CIDADE
  • Varre-Sai
  • Baixo Guandu
  • São Gabriel da Palha
  • Três Pontas
  • Iataguaçu 1
  • Itaguaçu 2
  • Nova Venécia 2
  • Sooretama
  • Afonso Cláudio
PARCERIA
  • Unicafé
  • Unicafé
  • Unicafé
  • Unicafé/Lavazza
  • Unicafé
  • Unicafé/Taloca
  • Unicafé/Lavazza
  • Unicafé/Nestlé
  • Unicafé/CCCV
DATA DE INAUGURAÇÃO
  • 09/09/2004
  • 27/11/2004
  • 09/09/2005
  • 01/06/2006
  • 30/06/2006
  • 18/10/2007
  • 11/09/2009
  • 09/12/2009
  • 14/08/2014
ESCOLA
  • E.M. Elídio Valentim de Morais
  • E.M.E.F. Francisco da Cunha Ramaldes
  • E.F.A. e Educação Profissional do BLEY (redes MEPES)
  • E.M. Nossa Senhora Aparecida
  • E.M.E.F. Thiers Velloso
  • E.M.E.F. Padre Afonso
  • E.M. Dr. Adalton Santos
  • E.M.E.F. Pedro Balbino de Menezes
  • E.M. Córrego Francisco Corrêa